Escola Alcides Mendes ganha prêmio de destaque na 18ª UFMG Jovem

A Escola Estadual Alcides Mendes da Silva, de Porteirinha, conquistou o prêmio de destaque na 18ª UFMG Jovem de 2017. A escola concorreu com outras 17 pesquisas realizadas por instituições estaduais, municipais, federais, técnicas e privadas, e venceu com o projeto “Farinha nutricional inovadora”, um estudo sobre o potencial nutritivo de plantas do cerrado, bioma característico do Norte de Minas.

O projeto foi desenvolvido por estudantes do 7º ano do Ensino Fundamental e a instituição conquistou o público, os jurados e o prêmio de escola destaque na área de Ciências Biológicas e Ciências da Saúde da categoria Ensino Fundamental.

“Sair da nossa cidadezinha, apresentar nosso trabalho para diversas pessoas e, ainda, ser escolhido pela comissão, foi muito emocionante. Eu nunca tinha recebido um prêmio”, conta o estudante Bernardo Medeiros.

“Pesquisamos o valor nutricional do jatobá, do amaranto, do baru e produzirmos uma farinha rica nutricionalmente e que não altera o gosto dos alimentos”, explica Bernardo, ressaltando que o produto, introduzido na merenda escolar, pode ser consumido com iogurte, feijão, arroz, entre outros alimentos, e possui diversos benefícios para a saúde. “O jatobá, por exemplo, tem muito ferro e previne a anemia. Já o amaranto ajuda no sistema cardíaco, imunológico, visão e ossos”, afirma.

Luís Gustavo da Cruz, 12 anos, conta que o prêmio é um reconhecimento ao tempo dedicado ao projeto e um estímulo para professores e alunos seguirem investindo em pesquisa. “É o incentivo para continuarmos no caminho da ciência, que considero muito interessante, seja na área biológica, da saúde, novas tecnologias, entre outras. Vamos estudar e pesquisar cada vez mais para podermos conquistar outras premiações e compartilhar conhecimento com outras pessoas”, garante.

Reforçando que o trabalho “Farinha nutricional inovadora” está alinhado ao projeto “Multiplicadores da Sustentabilidade”, a orientadora e professora de Ciências, Jucinéia Fernandes Souza, afirma que a premiação consagra a proposta pedagógica da escola e o empenho dos alunos. “É a demonstração de que estamos certos em investir e promover a iniciação científica no ambiente escolar. Além disso, reafirma que eles podem ser protagonistas e fazer ciência na educação básica, no sistema de ensino público”, diz.  O projeto Multiplicadores da Sustentabilidade visa disseminar informações sobre adoção de práticas sustentáveis e preservação ambiental.
Compartilhando da opinião da educadora, Maria Suserlei Santos, diretora da escola, salienta que o prêmio pode transformar os estudantes. “Tenho certeza que voltarão mais entusiasmados em estudar, fazer ciência, investigar e buscar, por meio dos projetos, construir e compartilhar o conhecimento. A UFMG Jovem inspira e amplia a maneira como nós, docentes e educandos, vivenciamos o saber”, conclui.

No ano passado, a escola havia conquistado o terceiro lugar geral com a pesquisa “As potencialidades do larvicida leguminoso no combate ao Aedes aegypti”, orientada pela professora de Ciências, Jucinéia Fernandes Souza.

Fonte: www.educacao.mg.gov.br